No início era a mais pura diversão.

Tudo começou mesmo em 2001 quando o Dinho Valladares e a Aline Bourseau da Cia de Teatro Contemporâneo foram para Buenos Aires e assistiram a um espetáculo muito louco, onde a plateia votava nas histórias, preenchiam uma ficha, e as cenas eram criadas na hora. Aquilo era vivo! E a plateia votava nas melhores cenas, xingava o juiz, era uma adrenalina pura!!

Assim, quando voltaram para o Rio de Janeiro começaram a experimentar ainda de forma empírica tudo o que tinham visto em Buenos Aires e principalmente jogos de improviso.

 


Entramos então em contato com o TEATRO-ESPORTE. Em 2005 nasce então o 1º Campeonato Carioca de Improvisação, o show era bem improvisado. Jogaram 6 times. Quem se sagrou campeão aquele ano foi “Os Improváveis” formado por Rafael Chasse, Charles Paraventi, Tatá Werneck, Ary Aguiar Jr e Fábio Nunes.  Somente a plateia escolhia a melhor cena e participava ativamente votando com palmas e gritos. Havia apenas um apresentador que era também o juiz e a plateia escolhia uma cena.

No mesmo ano fizemos o 1º intercâmbio internacional com a LPI – Liga Professional de improvisación Teatral. E  esse foi o início de uma linda história de amizade com o país vizinho, ARGENTINA. E  convidamos o diretor da LPI, Ricardo Behrens, para ministrar uma oficina de técnica de improvisação e conhecemos o MATCH DE IMPRO.


Em 2006, a Cia de Teatro Contemporâneo resolveu realizar dois Campeonatos, o I Campeonato de Outono de Improvisação no primeiro semestre e o II Campeonato Carioca de Improvisação no 2º semestre, entre outubro e novembro.

O I Campeonato de Outono teve a presença de jogadores do Jogando no Quintal, com a equipe “Laranja Mecânica” – Márcio Ballas, Alan Benatti, Mariana Muniz e Paola Musatti e teve uma final emocionante com os “Improváveis” e o “Armacena” chegando ao empate na final e com plateia pedindo uma cena desempate. Os vencedores foram Os Improváveis de Charles Paraventi, Tatá Werneck e Fábio Nunes.

Para o II Campeonato Carioca de Improvisação em 2006, no segundo semestre, a Cia de Teatro Contemporâneo trouxe pela 2ª vez o diretor da LPI da Argentina Ricardo Behrens que então trabalhava com a técnica de match de impro. Ele ministrou uma oficina para vários interessados e muita gente envolvida com o Impro participou entre eles : Talita Werneck, Flavio Lobo, Fábio Nunes, Ary Aguiar Jr., Aline Bourseau, Dinho Valladares, Cláudio Amado, Ana Paula Novellino, Alessandro Valéryo e Alberto Goyena. Esse ano de 2006 foi bastante importante, um divisor de águas, pois o Campeonato foi todo produzido em cima da técnica de match. A final aconteceu no Teatro Gláucio Gil que ficou lotado e foi apitada pelo próprio Behrens. Flavio Lobo e Cláudio Amado fizeram assistência de arbitragem. Aline Bourseau foi a mestre de cerimônias.Os gritos e palmas da platéia foram substituídos pelos cartões de votação com cores para cada time.


Foi um ano realmente revelador e desta edição resolvemos criar um espetáculo chamado JOGO DAS ESTRELAS onde os 10 melhores improvisadores desse campeonato entraram em cartaz na Sede da Cia. que estreou em 2007 com o seguinte elenco: Ary Aguiar Jr. (Cia Armacena Ilimitada), Rodrigo Amem (Improvinsanos), Amanda Leal (Cia Armacena Ilimitada), Adriano Pellegrini (Os Imaturos), Alberto Goyena (Os Imaturos), Pedro Figueiredo (Os Imaturos), Mariana Arruda (LPI-BH), Alessandro Valeryo (Metzlers), Ana Luisa Leite (Os Imaturos) e André Luiz Rocha (Metzlers).

O Campeão desse ano foi “Os Imaturos” no qual se destacavam os improvisadores Adriano Pellegrini, Pedro Ribamar e Alberto Goyena.

Em 2007, o Campeonato cria seu próprio regulamento e diretrizes, e decidimos que o espetáculo não iria ser de  Match, apesar de ser uma excelente  técnica de treinar improvisadores. E foram muitas discussões produtivas em que pensávamos a técnica, o show, as regras, o regulamento, e tudo mais que advinha como necessidade para o Campeonato Carioca. E assim já estávamos no III Campeonato Carioca de Improvisação. A final foi no Teatro Gláucio Gil que estava lotado. Quem apitou foi o próprio Ricardo Behrens auxiliado por Flávio Lobo e Cláudio Amado. Nesse ano o campeão foi  “Os Parmalat” formado por: Rodrigo Amém, Renata Azzam, Karina e Luiz “Fofo” Perez Jr. Nesse ano tivemos a honra de recebrr em nossa Cia o diretor Alemão VOLKER QUANDT diretor da Impro-Akademie Tübingen  E do HARLEKIN THEATER- Tivemos então um excelente encontro e uma palestra enriquecedora sobre o impro – e formatos de improvisação.


O Formato  do Campeonato amadurece e Em 2008 a direção do Campeonato formada pelo Dinho Valladares e Aline Bourseau  resolve reunir os capitães dos times para uma assembléia que resulta em mudanças radicais nas regras e no formato, decide – se então colocar um juiz técnico que pode pontuar, ou não, as duas equipes de acordo com as faltas técnicas cometidas. Um juiz cênico que vota em apenas uma das equipes e julga o aspecto cênico em geral e a platéia que continua votando na melhor cena. Nesse momento entra o formato da equipe de Show – onde teríamos então um mestre de cerimônias, 2 juizes, 2 assistentes de palco que iriam auxiliar o mestre de cerimônia, contar os pontos, distribuir os cartões de votação assim como as fichas de jogos e títulos para a platéia. E então no IV Campeonato Carioca de Improvisação que tivemos a honra de receber o time de Brasilia : OS ANÔNIMOS DA SILVA – (Fernando Booyou, Edson Duavy, Lucas Moll e Saulo Pinheiro) onde também fizemos grande amigos. A final foi disputada entre os ANÔNIMOS DA SILVA e os IMPROSÊNIORS.os vencedores foram os “Improsêniors” (Ary Aguiar Jr., Pedro Ribamar e Rodrigo Amém). Foi nesse ano de 2008 que também tivemos outros importantes intercâmbios : recebemos o Shawn Kinley  da companhia canadense LOOSE MOOSE do mestre Keith Johnstone!! Fizemos boas trocas e no ano seguinte tivemos uma bela oficina desse mestre na Cia de Teatro Contemporâneo

Ainda nesse ano tivemos uma oficina do Pedro Borges  um grande improvisador Português e a oficina da Bobbi Block da Cia americana TONGUE & GROOVE tudo isso foi muito importante para nós , abrimos nossas percepções, nossos sentidos ganhamos mais conhecimentos, e experiência e fizemos novos amigos!!


No ano seguinte, 2009 – E o Campeonato indo para a sua 5º edição! VIROU TRADIÇÃO! E foi nesse ano que a Companhia de Teatro Contemporâneo ganha o 1º patrocínio para o projeto e A novidade esse ano era a I edição do Brasileirão: I Campeonato Brasileiro de Improvisação, e  os quatro primeiros lugares do carioca disputariam jogos com dois times de fora: Os “Anônimos da Silva” de Brasília e a “Imprópria Cia Teatral”, galera de Minas que estava residindo em São Paulo.

Então do V Campeonato Carioca de Improvisação os vencedores foram: “Os Japoneses”

O  I CAMPEONATO BRASILEIRO DE IMPROVISAÇÃO consagrou a “Imprópria Cia Teatral ” (Bruno Campelo, Eduardo Miele, Mateus Bianchim, Juliana Martins e Leandro Alves) como campeã, “Anônimos da Silva” (Fernando Booyou, Edson Duavy, Lucas Moll e Saulo Pinheiro) como vice, seguidos pelos “Japoneses” e “O Outro Grupo”.

Um campeonato de respeito!

Assim o Campeonato virou acima de tudo um grande encontro de improvisadores e  então amigos!! Estávamos já muito orgulhosos do projeto!

Então nesse ano de 2009 fizemos mais um grande intercâmbio – recebemos pela primeira o mestre da improvisação – O Omar Galván Argentino e tivemos um excelente workshop dele foi algo transformador!


Em 2010 o Campeonato amadureceu bastante. E cresceu. Oito times se inscreveram para o VI Carioca e 16 times de fora requisitaram a participação no II Brasileirão. Desses foram selecionados seis times: quatro times de São Paulo – “Sustentáculos”, “Protótipos”, “Impronozes” e “Imprópria Cia Teatral”, um time de Minas Gerais – “Uma Companhia” e um time do Paraná – os “Risologistas”. Eles disputaram com os dois primeiros colocados do Carioca: os campeões – “Alcateia” e os vice-campeões – os “Ilimitada”.

O nível do Campeonato Brasileiro organizado pela Cia. de Teatro Contemporâneo este ano foi altíssimo e os jogos muito divertidos.

A disputa da terceira colocação entre “Protótipos” (Rafael Lohn, Leandro Costa, Daniel Zanella e Gustavo Gerard) de São Paulo e “Risologistas” (Adriano S. Brandão – Propício Alfredo Cruz – Santa Rita, Jhonatan Mazzo – Tupisco e Alan César – Pitucho) do Paraná foi de arrepiar. Os dois times jogaram muito bem e terminaram empatando na terceira colocação, em um jogo de puro cavalheirismo, onde as duas companhias sob aplausos da plateia dividiram a cena e depois a taça (literalmente) ao meio.

A final foi entre a excelente “Uma Companhia” (Diogo Horta, Fred Bottrel, Débora Vieira e Bella Marcatti) de Minas Gerais e o “Alcatéia” (Alessandro Valéryo, Ary Aguiar Jr., Danilo Maroja, Flávio Lobo,  Susana Soares e Kastello) do Rio de Janeiro. Um jogaço disputado ponto a ponto e conquistado pelo “Alcatéia” com um placar apertado (5 X 4).

Este ano tivemos ainda as apresentações de Leandro Alves com seu excelente solo de improvisação – “Estória de Ninguém” e dos “Risologistas” que fizeram um maravilhoso espetáculo de palhaçaria improvisado, satirizando muito do que havia ocorrido de marcante no campeonato.foi incrível!

O Campeonato de Improvisação organizado pela Cia de Teatro Contemporâneo já está mais maduro, claro que sempre existem pontos que poderiam e vão melhorar. Mas uma coisa é consenso entre participantes e organização. A marca registrada do campeonato 2010 foi a intensa troca de informações, entre os grupos e os laços de amizade e respeito pelo trabalho que aqui foram consolidados. Quem ganha com essa colaboração é o movimento do Impro no Brasil. Os times de fora já saíram com idéias de organizarem campeonatos regionais por estados, a exemplo do Carioca.


Em 2011 – tivemos 0 VII CAMPEONATO CARIOCA DE IMPROVISAÇÃO- e o III CAMPEONATO BRASILEIRO.


Em 2012 – O VIII CAMPEONATO CARIOCA E IMPROVISAÇÃO E O IV CAMPEONATO BRASILEIRO e surgiu o  I CAMPEONATO SUL AMERICANO onde recebemos as equipes LPI – argentina  com José Majul , Sebastian Luna , Caro Chande e  ,  com o técnico Ricardo Behrens e o colombianos SIN SOLUCIÓN IMPRO- Juan Cristóbal Botero Angarita, Carlos Andrés Polania Granja, Arturo Alvarez  e Cami Márquez que jogaram com os  primeiros colocados do III CAMPEONATO CARIOCA DE IMPROVISAÇÃO que foram Os Frangos de Makumba (RJ) e os Impronozes de (SP).


Em 2013 foi um ano muito importante pois O IX CAMPEONATO CARIOCA DE IMPROVISAÇÃO cuja final aconteceu no Teatro Cândido Mendes  no centro da Cidade,um teatro com 400 lugares !! foi  emocionante!!! e nesta final tínhamos os seguintes times .: FRANGOS DE MAKUMBA – CACHORRADA IMPRO CLUBE – ARMACENA E IMPRUDENTES !!! grandes times e galera afinada na impro!!! Grandes amigos também!

O IV CAMPEONATO BRASILEIRO DE IMPROVISAÇÃO E O II CAMPEONATO SUL AMERICANO DE IMPROVISAÇÃO aconteceram no Teatro Cândido Mendes de Ipanema  e tivemos um prazer enorme tanto em receber como em ver os PELASFUSTANES Argentina – Córdoba , a LPI – argentina – Buenos Aires e o KÉTO do Peú – foram maravilhosos e o KÉTO se consagrou campeão do Sul Americano e nos presenteou com um belíssimo espetáculo de long form – MÍNIMAS DE IMPRO foi inesquecível!!! OS PELASFUSTANES também trouxe um espetáculo  excelente que nos fez pensar sempre o impro sob novos olhares...

Nesse ano  também tivemos um importantíssimo intercãmbio com a AMY ROEDER uma das diretoras e treinadoras do SECOND CITY – de Chicago e foi uma das mais importantes oficinas de improvisação que já tivemos !!!  e também se tornou uma grande amiga e companheira de impro!


Começamos 2014 – respirando improvisação por todos os poros! a Cia de Teatro Contemporâneo foi convidada a participar do CHICAGO IMPROV FESTIVAL – o maior festival de improvisação do mundo!!! Foi realmente uma experiência para o resto da vida!

E em junho do mesmo ano tivemos o prazer de receber uma oficina incrível também do JORGE RUEDA – diretor do IMPROMADRID estamos muito felizes!

Com essa linda história só temos a agradecer aos nossos mestres:Amy Roeder, Omar Galván Argentino, Ricardo Behrens, Bobbi Block, Shawn Kinley, Jorge Rueda.

E aos inúmeros amigos que fizemos por esse mundo da improvisação.

Login

Ir para o Topo